Corte reconhece as famílias de pessoas do mesmo sexo

• Corte Constitucional de Colômbia reconhece que as pessoas do mesmo sexo são família, mas o Congresso deve regular o matrimônio em um prazo de dois anos
• Enviar este tema ao Congresso da República da Colômbia é desconhecer que este sempre foi, o órgão do Estado mais discriminador da população LGBT
• Corte Colombiana deixa em espera o matrimonio igualitário

 

Dois, Duas Meninas, Dois Da Mulher

 

26 de julho de 2011. A Corte Constitucional reconhece que na Colômbia é constitucional o direito ao matrimonio civil por parte das pessoas do mesmo sexo e as famílias das parejas do mesmo sexo merecem proteção constitucional. Este embargo, considera o que é o regular, para o que é mais do que o Congresso.

Querem dizer que se depois do 20 de junho de 2013 o Congresso não estiver produzido uma decisão, esta sentença, terá vigência e siga para realizar matrimônios civis em qualquer país do país sem necessidade de regulamentação adicional.

Reconhecendo as pessoas do mesmo sexo como famílias e define um padrão mínimo de proteção para elas, que é o que deve ter em conta o Congresso a hora de regular o matrimônio igualitário para as pessoas do mesmo sexo.

Pessoas do mesmo sexo, que se unem e pensam na prosperidade financeira querem regularizar o matrimônio com medo do que podem acontecer no futuro.

Marcela Sánchez Diretora de Colômbia Diversa: “dado que o Congresso colombiano, não ha sido, nem o espaço de garantias dos direitos da população LGBT, significa que em realidade é mais provável que seja um aplauso a Decisão e as pessoas do mesmo sexo são a partir de 20 de junho de 2013 “.

O Congresso da República tem 6 oportunidades de legislar sobre o reconhecimento de direitos mínimos das pessoas do mesmo sexo e não tem cumprimento. Haviam antes pretendido aprovar leis inconstitucionais para impedir as pessas do mesmo, a expressão do afeto em público.

Apesar desta pronunciação, a Corte Constitucional desconhece a forma discriminatória e prejudicada em que o Congresso da República da Colômbia ha manejado os temas relativos às parejas do mesmo sexo e falta a deveres de proteção de minorias em una Democracia deficitária como a nossa.

A sentencia surge antes da demanda interposta pela Colômbia Diversa  e apoiada por centenas de organizações e cidadãos colombianos, que anunciou a inconstitucionalidade do artigo 113 do Código Civil, que define a época civil e contrato exclusivo entre um homem e uma mulher e cuja Função era a procriação. De esta forma, o conceito de “família” se via limitado a reconhecer as unidades constituídas por um homem e uma mulher, e desconhecemos a realidade da diversidade de famílias.

Empréstimos à disposição, Colômbia Diversa, organização em que o país lidera a promoção dos direitos LGBT, se concentrando no ensaio do pronunciamento para esta moda, com a comunidade LGBT sobre os alcances e os mecanismos de disputa para o Acesso imediato ao direito reconhecido e exigido do resto do estado do cumprimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *